Consumo de alimentos ultraprocessados no Brasil cresce na pandemia

Um novo estudo do Datafolha, encomendado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), revela que os brasileiros de 45 a 55 anos estão consumindo mais alimentos ultraprocessados durante a pandemia. 

O consumo desses produtos nessa faixa etária era de 9% em outubro de 2019, enquanto em junho deste ano saltou para 16%.

O levantamento feito em 2020 abordou pessoas entre 18 e 55 anos pertencentes a todas as classes econômicas e de todas as regiões do Brasil e revela que salgadinhos de pacote ou biscoitos salgados foram os produtos campeões de consumo em comparação com o levantamento realizado em 2019, subindo de 30% para 35% a proporção de pessoas que os consomem. 

O segundo lugar no ranking ficou para margarina, maionese, ketchup ou outros molhos industrializados, cujo consumo subiu de 50% para 54% em 2020. 

Os produtos ultraprocessados são reconhecidamente prejudiciais à saúde (causando inclusive câncer), por conta do conteúdo excessivo de nutrientes associados a doenças crônicas não transmissíveis, como obesidade e doenças cardiovasculares. Portanto, o aumento no consumo desses produtos reflete diretamente nas condições de saúde da população.

Se você faz parte deste grupo que está comendo mais alimentos assim, repense sua dieta e evite prejuízos maiores à sua saúde. 

 

(Fonte: Revista News)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *